momento traça

6.11.05

terça-feira, 19h, primeira incursão pela feira do livro:

- feliz ano velho, marcelo rubens paiva - como a própria contracapa do livro diz, é o segundo mais lido pelas candidatas a miss depois de o pequeno príncipe. embora meu último desfile de beleza tenha sido aos sete anos concorrendo ao título de a mais bela prenda do meu condomínio (e perdi), já tinha lido a metade do livro esperando por alguém que não lembro quem era na saraiva megastore. ler a outra metade saiu por 5,00.

- como fazer amigos e alienar pessoas, toby young - odeio jornalista que se acha, que comenta como quem não quer nada 'o germano (rigotto) me disse ontem que...', 'o zé otavio (germano) me perguntou o que eu achava', 'a petrobras não patrocinou meu programa porque denunciei o pt'. por isso, uma autobiografia de um jornalista que se acha, mas que tem consciência disso, cai como uma luva. 20,00.

- os nus e os mortos, norman mailer - 'a obra-prima do maior escritor norte-americano vivo', como diz a capa, por 23,00; a conferir.

domingo, 15h30min, segunda (e última), incursão pela feira do livro:

- Asterix e o caldeirão - diversão garantida por 10,00. e ainda tem gente que paga putas, fuma maconha ou vai ao dado bier.

- não verás país nenhum, ignácio de loyola brandão - o primeiro livro que li do cara foi 'zero', dica da clarissinha para o nosso círculo literário que nunca saiu do primeiro encontro. como foi bacana e custava 2,50, vamos ver a que veio.

- astrologia, sexo e amor, sydney omarr (sic) - culpa da márcia. 2,50

- a gravura no rio grande do sul 1900-1980, carlos scarini - a trabalho. há de ser útil. 5,00

- a vida sexual da mulher feia, cláudia tajes - até que enfim um lançamento. dica da cássia. mas, honestamente, gostei mais de as pernas de úrsula. 19,90

- memórias de minhas putas tristes, gabriel garcia márquez - ótimo, ótimo, ótimo. e ainda nem li, mas tenho certeza absoluta de que é excelente. 19,90

- as intermitências da morte, josé saramago - fiquei duas horas e meia na feira do livro, debaixo de chuva, em cima de poças d'água, passando frio. mas porque eu gosto. agora, o ricardo odeia multidão, desconforto e seria capaz de assassinar um flanelinha. mas foi comigo, estacionou o mais perto possível da praça da alfândega, carregou as sacolas, parou em cada saldo, me protegeu da chuva. e ainda assim sou canalha o suficiente pra comprar um livro que eu quero ler de presente pra ele em agradecimento. ainda bem que ele também gosta... mas não duvido que eu o leia primeiro. 28,00

7 comentários:

Solon disse...

Vi uns dois ou três livros diferentes do Norman Mailer entre os saldos de R$ 5,00. Espero que este que compraste não fosse nenhum deles.

Anyways, a verdadeira razão do comentário é a seguinte: já que estás dominando tão bem as ferramentas do Blogger a ponto de colocar um fundo personalizado e tudo mais, que tal configurar a caixinha de comentários para aparecer em uma janela nova, ao invés de obrigar a clicar duas vezes em "comments", e ainda ter que ficar dando "back" no browser pra voltar a ver o blog por inteiro?

clarissa disse...

hummm... tentarei. mas se tu soubesse que saco foi colocar estas pedras aí só pra te agradar, negro...

Anônimo disse...

Lindo mesmo vai ficar quando o texto não ficar em cima da foto...
Renata

belloc disse...

pagar putas, fumar maconha e ir ao dado bier é ótimo....

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
muzell disse...

a primeira coisa que pensei quando vi essas pedras foi "o quê? um cocô?"

Anna Martha disse...

Outro exemplo de jornalistas que se acham: "o Antônio vai estar em Porto Alegre hoje?", ao que eu respondo: "que Antônio?", "O Antônio, o vice", eu: "Ah, sim, o Antônio Hohlfeldt, o vice-governador do Estado".