caminhando e andando

13.8.08

Jornalistas, vamos caminhar por nosso diploma

Nesta quarta-feira, dia 13 de agosto, acontece o ponto alto da Semana Nacional de Luta em Defesa da Formação e Regulamentação, em Porto Alegre. Após concentração na Praça da Matriz a partir das 13h30min, jornalistas, diretores do Sindicato, professores, estudantes de Jornalismo e simpatizantes saem às 14h em caminhada rumo ao prédio da Justiça Federal. O roteiro inicia na Praça da Matriz, segue pela Borges de Medeiros em direção à rua Coronel Fernando Machado, virando à direita na avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, na rotatória seguindo pela avenida Augusto de Carvalho, virando à esquerda na rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, seguindo em direção ao prédio da Justiça Federal. Ao todo, serão 2,1 quilômetros de trajeto, e o Sindicato já recebeu autorização da EPTC.

Solicita-se que os participantes usem roupa preta. A camiseta da campanha está à venda no Sindicato e no local, por R$ 7.

são tantas as cornetas que mal sei por onde começar.

- passeata de jornalistas às duas da tarde de um dia de semana? ok, seremos centenas de milhares. especialmente os que trabalham, que nada têm a fazer nesse horário.
- aliás, seja lá em que horário for, uma caminhada de jornalistas? quem vai perceber? a justiça federal deve estar montando barricadas desde já.
- organizada pelo sindicato. corneta auto-explicativa.
- a camiseta da campanha está à venda. o diploma é uma grife, babes! vistam a camisa do diplomado e se filiem ao sindicato. ahn... pra que, mesmo? ah, o dissídio, sempre mínimo e sempre atrasado. ah, tá.

não me entendam mal, dois leitores e meio. acho que o diploma funciona como um primeiro filtro pra ser um bom jornalista - porque o que tem de diplomado ruim não tá no gibi. mas esse tipo de ação é tão anacrônica quanto o protótipo do jornalista esquerdinha, contra tudo isso que tá aí, mas que reza todo dia pro papai do céu pra trabalhar num jornalão.

vamos parar de brincar de anos 70 e fazer algo que funcione, pra variar?

5 comentários:

Ticolina disse...

anarquia!!!!

tah, serio agora. sabia que 'ser jornalista' na italia eh muuuuito dificil porque nao adianta ser formado, para ter a carteirinha e ser reconhecido como tal, o sujeito tem que fazer pelo menos dois anos de trabalho como jornalista de carteira assinada E sendo pago?

e ser jornalista na italia eh sinonimo de ganhar bem e ter uma vida quase segura pro resto dos tempos. porque se um jornalista eh demitido O SINDICATO paga por ateh dois anos o equivalente a 80% do salario dele - para evitar que jornalistas sejam demitidos pelas suas opinioes. um jornalista custa caro, muuuito caro, para um jornal italiano.

infelizmente o JORNALISMO italiano anda em decadencia total e absoluta. mas isso eh uma outra historia.

Jousi disse...

Ficou sabendo da história e é essa a máxima utilidade de tal ato.

Concordo com várias cornetas, mas suspeito que ninguém se presta mais a esse "protótipo do jornalista esquerdinha, contra tudo isso que tá aí" há alguns anos.

Um "protótipo de jornalista revoltadinho, que apanha e engole sapos nas oito horas (sic), se dobrando bUnitU com um risinho amarelo" seja mais atualizado.

;)

Jousi disse...

* talvez seja mais atualizado.

Denise disse...

Acho essa discussão sobre o diploma tão vazia... Em tese*, a formação em jornalismo pode, sim, fazer diferença. Mas, do jeito que os cursos estão estruturados, confesso que não nos colocam em uma situação muito vantajosa em relação aos sem diploma mas com boa cultura geral. Na minha opinião, muito mais importante que tentar impor a obrigatoriedade do canudo por lei seria trabalhar para que a formação universitária realmente fizesse diferença. Se os egressos das faculdades tivessem um bom diferencial em relação aos demais, a necessidade do diploma iria se impor naturalmente. Será que o sindicato não pensa nisso?

* Lembrei do teu post anterior quando escrevi esse "em tese"... Será que é isso que nos ensinam nas faculdades?

Denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.