atenção, é sobre jornalismo

23.8.08

como jornalista, só tem uma coisa que irrita. é a fonte.

o rodrigo acha a coisa mais querida a fonte dar entrevista pra nós (não achei o post onde ele diz isso, em outras palavras mais de macho). mas eu não. eu acho obrigação.

fico furiosa quando a fonte não quer falar. pode ser qualquer fonte. presidente da república, cantor, passante. acho simplesmente que eles têm de falar com a gente, jornalistas. explico.

a gente, jornalistas, também não queria falar com eles. também temos amigos muito mais legais pra conversar. família. filme pra ver. também poderíamos estar fazendo outra coisa.

mas não. a gente, jornalistas, está trabalhando. está informando a população. e pra melhor informar, precisa da fonte, seja presidente da república, seja cantor, seja passante. é a nossa profissão.

ou tu aí, fonte que não quis me atender, acha MESMO que eu não teria nada melhor pra fazer em um sábado de noite?

3 comentários:

Solon disse...

é tua obrigação, como jornalista, informar. não é minha obrigação, nem de ninguém, como fonte, informar. até porque a decisão de ser jornalista é absolutamente facultativa, enquanto que ser fonte é algo inteiramente arbitrário e decidido por vocês.

e eu sei que tu sabe disso tudo.

clarissa disse...

passada parte da fúria: ok, posso admitir que há algum tipo de fonte que é arbitrária. mas tem um outro, que é o tipo que ocupa cargo, que não é arbitrário. e esse tem que falar, sim. a pessoa física pode ser tímida, avessa a entrevistas, fique à vontade. mas a pessoa jurídica tem obrigação de falar, ora bolas. o máximo que posso fazer é não ligar na hora do jogo no fim de semana.

Solon disse...

concordo em termos. se for para dar informações públicas, pertinentes ao cargo que ele ocupa, de fato. se for pra dar opinião ou pitaco, confirmar ou desmentir rumores ou coisa que o valha, acho que ele não tem obrigação alguma.