é jornalismo de novo, mas que culpa eu tenho?

7.2.06

coisa mais feia do mundo é quando um jornalista – seja repórter, seja assessor de imprensa – escreve uma matéria inteira sem entender do que ela se trata. há um montão de exemplos de textos redigidos que levam a crer que o cara pode ser substituído por um gravador, com vantagens.


no colégio, sem internet ainda, eu e meus coleguinhas passávamos as tardes copiando livros da biblioteca para folhas de papel almaço a título de trabalho valendo nota. a cópia era tão boa que vinha com detalhes como "conforme a tabela abaixo", "na figura à direita", mesmo sem ter figura nem tabela. mas se o cara fez jornalismo, isso precisava ter ficado para trás.

recebo um relise sobre ativos intangíveis (poético, não?). o lide diz que alguém fará uma palestra sobre isso em são paulo. o segundo parágrafo informa (?): “A possibilidade de obter, transmitir e processar informações teve um forte crescimento em função da velocidade das comunicações, e, sobretudo, pelo desenvolvimento da internet. O enorme desenvolvimento das tecnologias de informação e telecomunicações criou uma série de relações complexas entre empresas e suas cadeias de suprimento. Estas inter-relações têm modificado radicalmente o modo de atuar das organizações. Diante deste cenário a gestão dos ativos intangíveis tem papel fundamental para o sucesso das organizações. “ finaliza contando quem é o palestrante, etc.


alguém me diz aí o que são ativos intangíveis? grata.



10 comentários:

marcia disse...

hahahahahahahahahahahahahaha...

Lella disse...

hahahahaha! muito engraçado que há pouco li essa expressão numa matéria e fiquei pensando sobre isso. e quando entrei aqui, tive a sensação de um dejavú.
mas não seriam, por exemplo, aspectos importantes para a empresa que não podem ser mensurados? como valores percebidos por partes interessadas, questões que envolvem práticas de sustentabilidade, governança e bla, bla, bla...

Alvaro disse...

Em tempos de Google não se admite mais escrever releases baseado apenas no FOLDER que o cliente fez para sua palestra no qual o palestrante não tinha tempo de escrever um paragrafo de justificativa da sua apresentação (ou que não é muito bom de botar as idéias no papel). O problema de assessor é que se aprende essas coisas na marra.

e o ativos tangíveis da pastelaria do seu waldemar são aqueles de camarão, carne e siri que ele faz, vende e pode guardar o dinheiro da venda no caixa para no final do mês pagar o colégio das gurias. os intangíveis são o valor da marca, a imagem e o capital humano ou, simplesmente, aquela filha mais velha dele que atende a gurizada toda risonha com aquele decote que não tem preço e que, por isso, de jeito nenhum ele deixa ela ir pra praia com as amigas porque a freguesia vai reclamar da falta dela.

Larissa disse...

Fantástica explicação, Alvinho!

muzell disse...

eu não explicaria melhor. até porque a larissa é braba.

Anônimo disse...

o conhecimento é maior ativo intangível de uma empresa

Rodrigo Pacheco disse...

Os ativos intangíveis no Brasil são, geralmente, considerados como ativos diferidos que, no inciso V do artigo 179 da lei societária, são definidos como "as aplicações de recursos que contribuirão para a formação do resultado de mais de um exercício social, (...)". O pronunciamento NPC nº VII do Ibracon estabelece a condição para a ativação desses gastos, geralmente direitos vinculados ao destino da entidade, e a sua recuperabilidade, ou seja, o seu vínculo com receitas a serem obtidas em períodos futuros. Caso isso não seja possível, o referido pronunciamento (no item b do parágrafo 2) determina que "os montantes ativados deverão ser imediatamente amortizados na sua totalidade".(Vide tabela abaixo)

clarissa disse...

rodrigo, tu não está mais no colégio!

sebastiao disse...

uma vez escrevi sobre governança corporativa. não entendi uma puta frase que me falaram. as fontes adoraram a matéria.

Emiliano disse...

Em revista o chefe tem mais margem pra mandar o cara fazer de novo, mas mesmo assim, volta e meia acontece. Não teve em Fortaleza o artista que inventou que era um japonês que fazia "arte eletrônica" e foi capa de todos os segundos cadernos da capital cearense?